Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Câmara dos EUA deve aprovar sua versão de pacote nesta quarta-feira

Os legisladores norte-americanos devem dar ao presidente, Barack Obama, a primeira vitória de sua presidência hoje, com a provável aprovação do pacote de estímulo econômico de US$ 825 bilhões. A Câmara deve votar e aprovar o pacote à tarde ou no início da noite.

Agência Estado |

Comitês do Senado dos EUA também prepararam sua própria versão do projeto de estímulo, uma vez que os democratas e a Casa Branca esperam passar uma proposta final pelo Congresso e para a Casa Branca até meados de fevereiro. Ontem à noite, o Comitê de Finanças do Senado concordou em acrescentar uma provisão de US$ 70 bilhões ao pacote proposto para recuperação econômica, o que eleva o projeto do Senado para quase US$ 900 bilhões.

A votação na Câmara deve acontecer um dia após o presidente ter feito sua primeira visita ao Capitólio, persuadindo republicanos com garantias de que as reclamações deles são ouvidas e algumas das preocupações compartilhadas. "Ninguém está mais preocupado com o déficit e a dívida do que eu. Eu serei julgado pelo legado que deixarei", disse Obama aos republicanos da Câmara, segundo um congressista.

O apelo de Obama aconteceu horas após líderes do Partido Republicano terem instruído seus membros a se opor à proposta dos democratas, que prevê cerca de US$ 500 bilhões em gastos e US$ 275 bilhões em cortes de impostos.

Questionando se pelo menos alguns republicanos assinariam a proposta, o líder da maioria democrata na Câmara, Steny Hoyer, disse que tem esperança disso. "'Presumir' isso seria uma palavra forte demais."

Na noite desta quarta, de acordo com a ABC News, Democratas da Câmara cederam às críticas dos republicanos ao remover uma provisão de US$ 200 milhões para renovar o National Mall, local da posse de Obama na semana passada.

Os republicanos não têm os votos necessários para derrotar a proposta de estímulo por conta própria, mas podem atrasar o progresso, especialmente no caso do Senado. As informações são da Dow Jones.

 

Leia mais sobre: pacote de estímulo econômico 

Leia tudo sobre: crise financeirapacote

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG