Tamanho do texto

A Câmara dos EUA aprovou uma série de projetos que prevê a elaboração de uma política estratégica para o setor manufatureiro do país

selo

A Câmara dos EUA aprovou uma série de projetos que prevê a elaboração de uma política estratégica para o setor manufatureiro do país. A legislação é parte do programa do Partido Democrata batizado de "Produza na América" (Make it in America), um plano para aumentar os empregos no país por meio do setor manufatureiro.

"O 'Produza na América' não é só sobre produzir na América. É sobre ter sucesso na América", disse o deputado Steny Hoyer (Partido Democrata-Maryland), líder da maioria na Casa, durante o debate no plenário. "Os norte-americanos sempre olharam para o setor manufatureiro como uma fonte de vitalidade econômica e como uma fonte de orgulho."

Um dos projetos determina que o presidente dos EUA elabore uma estratégia nacional para o setor manufatureiro para os quatro anos seguintes, a fim de promover os interesses do país na economia global. Outro projeto trata do déficit comercial e um terceiro busca impulsionar a indústria de tecnologia limpa nos mercados interno e externo.

"Após 110 anos como o maior país produtor do mundo, os EUA estão prestes a perder essa posição para a China", disse o deputado Daniel Lipinski (Partido Democrata-Illinois), autor da Lei da Estratégia Manufatureira Nacional. "Mas as perdas de empregos no setor manufatureiro não são inevitáveis e eu não aceito a ideia de que não há nada que nós possamos fazer."

Um assessor de um importante líder democrata no Senado disse que a Casa não planeja examinar as medidas antes do recesso de agosto. Nenhuma decisão foi tomada ainda sobre se a legislação vai ou não ser votada depois que o Senado voltar a se reunir em setembro, acrescentou essa fonte.

O projeto de Lipinski foi aprovado na Câmara com 379 votos favoráveis e 38 contrários. Os outros dois projetos foram aprovados por unanimidade.

Existem ainda dois outros projetos que são parte do programa "Produza na América" que já haviam sido aprovados anteriormente pela Câmara. Um deles contém centenas de suspensões e reduções de tarifas, em uma tentativa de ajudar empresas nacionais, e o outro projeto trata sobre o treinamento da força de trabalho.

Em 2009, o setor manufatureiro dos EUA empregava 11,5 milhões de pessoas, abaixo das 17,3 milhões de dez anos antes, de acordo com os legisladores.

"Não há dúvidas de que a América precisa de uma estratégia para revitalizar o setor manufatureiro, que guia o restante da economia", disse Scott N. Paul, diretor executivo da entidade empresarial Alliance for American Manufacturing.

Os projetos tiveram um forte apoio dos dois partidos, embora alguns republicanos tenham dito que eles não avançam o suficiente. O deputado Ed Whitfield (Partido Republicano-kentucky) cobrou o governo durante o debate na Câmara, dizendo que a administração precisa fazer mais para ajudar a criar empregos no país, o que inclui ratificar os acordos de livre comércio com a Colômbia e a Coreia do Sul. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.