O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, reiterou que descarta a possibilidade de um eventual calote da Grécia e disse que qualquer acordo envolvendo o país, a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) deve ser "baseado no conceito de sustentabilidade". Durante um evento em Chicago, Trichet foi questionado sobre os potenciais efeitos de um calote da dívida grega sobre os demais países da zona do euro (grupo das 16 nações que adotam o euro como moeda).

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, reiterou que descarta a possibilidade de um eventual calote da Grécia e disse que qualquer acordo envolvendo o país, a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) deve ser "baseado no conceito de sustentabilidade". Durante um evento em Chicago, Trichet foi questionado sobre os potenciais efeitos de um calote da dívida grega sobre os demais países da zona do euro (grupo das 16 nações que adotam o euro como moeda). "Eu sempre disse em público que o calote está fora de questão", respondeu a autoridade, que, no entanto, recusou-se a comentar sobre as negociações para solucionar os problemas fiscais gregos. "Não comentarei sobre negociações que ainda estão em andamento", afirmou.

Mais cedo, a agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixou as notas de crédito soberano de longo e curto prazos da Grécia para BB+ e B, respectivamente, de BBB+ e A-2. A perspectiva para os ratings é negativa. Trichet também disse durante o evento que os atuais problemas fiscais dos países não são surpreendentes, levando em consideração as despesas necessárias para oferecer suporte aos mercados financeiros e para estimular as economias durante a crise. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.