A Caixa Econômica Federal (CEF) não alterou as taxas de juros nos financiamentos da casa própria, de acordo com a presidente da instituição, Maria Fernanda Ramos Coelho. Ela informou que as fontes de recursos da instituição para o crédito habitacional são a poupança, que já captou R$ 8,5 bilhões este ano, e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), cujo orçamento é alocado no início do ano.

"Assim, a Caixa não enfrenta dificuldade de obtenção de recursos para o financiamento imobiliário. Não aumentamos as taxas de juros", disse.

A Caixa poderá criar uma linha nova para a construção civil ou modificar as linhas que já opera para o setor, segundo Maria Fernanda. De acordo com ela, o governo quer apoiar o setor da construção civil como "uma ação preventiva". Ela declarou, sobre os financiamentos da Caixa para a construção civil, que a instituição "continua operando de vento em popa". A executiva informou que de janeiro a setembro a Caixa já financiou R$ 17,4 bilhões, o que representa 55% acima do crédito concedido no mesmo período do ano passado. "Estamos fazendo uma média de mais de R$ 100 milhões por dia", disse Maria Fernanda. "Não sentimos nenhuma redução de demanda. O setor está operando muito bem", declarou. Ela comentou que no Brasil o déficit habitacional é muito grande e a massa salarial está crescendo. Também argumentou que as obras do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal ajudam o setor.

A executiva participou hoje de cerimônia de entrega das chaves de 140 habitações de baixa renda subsidiadas pelos governos federal, estadual e municipal na Cidade de Deus, na zona oeste do Rio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.