Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Caixa espera aumento de 20% no crédito imobiliário em 2009

SÃO PAULO - O momento é de crise para grande parte dos setores econômicos, mas a Caixa está bastante otimista em relação ao setor imobiliário e espera para o ano que vem uma expansão de 20% na carteira de financiamentos habitacionais, que deve fechar 2008 com liberação de R$ 22,8 bilhões - montante que será recorde histórico e ficará 50% acima dos R$ 15,2 bilhões financiados em 2007. Jorge Hereda, vice-presidente da Petrobras, avalia que a crise pode afetar a demanda no mercado de imóveis novos, mas o mercado de usados ainda terá forte movimento e muitos empreendimentos em andamento ainda serão entregues em 2009, o que deve garantir nova expansão dos financiamentos. A carteira de contratos de financiamento da Caixa soma R$ 40,5 bilhões atualmente e Hereda diz que as garantias são razoáveis, com taxa de inadimplência decrescente.

Valor Online |

Conforme dados divulgados hoje pelo banco federal, até o último dia 28 de novembro foram colocados no mercado R$ 20,4 bilhões em crédito habitacional, recorde histórico que deverá ser batido pelos R$ 22,8 bilhões previstos para o ano todo de 2008.

Desse total, 74% são garantidos por alienação fiduciária. Além disso, os dados sobre as entradas dadas pelos tomadores mostram que, nos financiamentos com FGTS, o mutuário adianta, em média, 30% do valor contratado, enquanto que na modalidade SBPE (com recursos da poupança) essa média chega a 46%. "São garantias razoáveis", diz Hereda, reforçando a qualidade da carteira do banco.

Conforme dados divulgados nesta tarde pela Caixa, até o final de outubro a inadimplência de mais de 90 dias da carteira de financiamento com FGTS era de 4,48% em relação ao total financiado. Para os recursos contratados pelo SBPE, onde o perfil de renda é mais elevado, essa taxa é 3,42%, o que resulta em média de 4,09%. "Essa variação era de 6% em 2003", lembra Hereda, afirmando que isso justifica a manutenção dos juros e das condições de financiamento.

O executivo diz que a Caixa cresceu mais que o mercado nesse segmento e respondeu por 51% dos valores financiados até o último dia 28. Considerando os contratos em carteira de 2003 até novembro, 67% dos clientes tinham renda de até cinco salários mínimos e 67% idade até 40 anos.

O valor médio de financiamento é de R$ 110,6 mil, sendo R$ 186,3 mil o imóvel financiado com recursos do SBPE e R$ 59,2 mil o valor médio dos contratos com uso de FGTS. No quesito prazo, a média de financiamentos pelo FGTS é de 12 anos e pelo SBPE cai para 8 anos de financiamento.

(Bianca Ribeiro | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG