Os financiamentos imobiliários com recursos da Caixa Econômica Federal devem superar RS 41 bilhões este ano, segundo o vice-presidente de governo do banco, Jorge Hereda. Não se trata de uma meta, de acordo com ele, mas de estimativa que considera a média de contratações de RS 150 milhões por dia e o valor já concedido até novembro.

A primeira meta anunciada pela Caixa para o crédito habitacional para 2009 foi de RS 27 bilhões, revista para RS 30 bilhões e depois para RS 38 bilhões. Em 2008, as contratações de crédito imobiliário na Caixa chegaram ao valor recorde de RS 23,3 bilhões. Até 30 de novembro deste ano, a Caixa concedeu financiamento imobiliário no total de R$ 39,3 bilhões. O valor é recorde e supera em 93% o registrado no mesmo período do ano passado.

Conforme Hereda, os números já superaram todas as metas da Caixa para este ano devido à retração dos outros bancos na concessão de crédito imobiliário e do programa habitacional "Minha Casa, Minha Vida". Segundo ele, o mercado esperava que, em função da crise, a busca de financiamento imobiliário por pessoas físicas seria menor. Mas "o programa trouxe confiança para quem queria comprar e lançar imóveis", afirmou.

Outras medidas, como o aumento do limite do valor máximo do imóvel financiado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para RS 500 mil também contribuíram para incentivar a demanda. "Não aumentamos juros nem reduzimos prazos. Mantivemos as condições e ofertamos mais recursos de poupança que o mínimo necessário", disse Hereda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.