Tamanho do texto

BRASÍLIA - A Caixa Econômica Federal vai criar um banco de investimentos, que terá uma subsidiária exclusiva para comprar participações de empresas de construção civil, a Caixa Participações (CaixaPar). De acordo com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o objetivo é não deixar desacelerar o ciclo atual de expansão do mercado imobiliário.

O ministro citou que o mercado imobiliário encontra-se na melhor fase de crescimento dos últimos anos, e que o governo tem interesse em não deixar essa evolução se retrair.

Ele destacou que ainda é pequeno o volume de crédito habitacional no Brasil, entre "3% e 3,5%" do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto em outros países chega a representar até 50% do PIB.

"A Caixa poderá ter ações de construtoras, que se capitalizaram no ano passado, mas podem estar passando por problemas de liquidez" com o agravamento da crise financeira internacional desde setembro, disse o ministro.

"É uma resposta para garantir a continuidade dos projetos imobiliários em curso", continuou Mantega. A crise secou o crédito interno a empresas e há casos de construtoras com grandes obras paradas por falta de financiamento.

O ministro explicou que esse é um dos instrumentos criados pela Medida Provisória 443, divulgada hoje, com medidas para minimizar os efeitos da crise financeira sobre os bancos e setores da economia real brasileira.

A MP autoriza a criação da Caixa Banco de Investimentos SA, subsidiária integral da Caixa. Mantega explicou que a CaixaPar será constituída a exemplo da subsidiária do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - BNDESPar, que no passado adquiriu fatias de empresas de vários setores para capitalizá-las.

Mantega disse ainda que a Caixa não vai precisar de novas capitalizações do Tesouro para tais operações. "Não há necessidade, pois ela têm liquidez suficiente", completou.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)