Os números do financiamento habitacional demonstram que o mercado imobiliário permanece superaquecido. Esta semana, a Caixa Econômica Federal anunciou ter batido mais uma vez recorde em contratações.

No primeiro semestre de 2008, a instituição financiou 201.956 unidades no País, num total de R$ 9,181 bilhões - montante 34% superior ao mesmo período do ano passado. Na mesma semana, o Sindicato das Empresas de Compra e Vendas de Imóveis (Secovi) anunciou crescimento de 38,6% nas vendas de imóveis novos, nos cinco primeiros meses do ano.

Somente com recursos das cadernetas de poupança, a Caixa aplicou R$ 3,4 bilhões, 33% a mais que no mesmo período do ano passado. Os consórcios foram responsáveis por quase R$ 300 milhões em recursos para a casa própria.

E mais: as contratações feitas com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foram responsáveis pelo montante de R$ 5,4 bilhões - 47 % superior ao registrado em 2007. Destes, R$ 2,8 bilhões foram concedidos a famílias com renda de até cinco salários mínimos.

Na opinião do vice-presidente da instituição, Jorge Hereda, as recentes mudanças nas regras de aplicação dos recursos do fundo, como o fim do limite de renda para o empréstimo, aumento do prazo e queda dos juros, estimularam as contratações.

No Estado de São Paulo, a Caixa realizou mais de 44 mil empréstimos habitacionais, no valor total de R$ 2,4 bilhões. Desse montante, os recursos do FGTS foram responsáveis por R$ 1,5 bilhão e os da poupança por R$ 900 milhões.

O valor médio das unidades financiadas com recursos da poupança fica em torno de R$ 150 mil e, no caso do FGTS, varia na faixa de R$ 55 mil e R$ 65 mil.

A Caixa anunciou ainda que o Feirão da Casa Própria realizado em dez cidades brasileiras contabilizou mais de R$ 4 bilhões em cerca de 56 mil negócios fechados e encaminhados.

Vendas

Na cidade de São Paulo, as vendas de imóveis novos residenciais cresceram 56% em maio, segundo os últimos dados divulgados pelo Sindicato das Empresas de Compra e Vendas de Imóveis (Secovi). Ao todo, nos primeiros cinco meses do ano, foram vendidas 15.611 unidades, o que significou um incremento de 38,6% sobre o mesmo período de 2007.

No mês de maio, foi verificada uma recuperação do segmento de quatro dormitórios, que representou mais de 39% do total comercializado e um terço dos lançamentos de maio. Com isso, se aproximou do desempenho do segmento de três dormitórios, líder do mercado em vendas: 40%.

Inflação

Para o vice-presidente de Tecnologia e Relações de Mercado do Secovi, Alberto Du Plessis, o ritmo de vendas não foi afetado com a divulgação do comportamento dos índices de inflação nos últimos meses. Esta análise somente será possível após a avaliação dos resultados de junho. Segundo levantamento da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), entre janeiro e maio deste ano, foram lançadas 12.512 unidades na cidade de São Paulo, um total 25,5% superior ao mesmo período de 2007.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.