Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cai participação de domicílios de baixa renda no país, diz IBGE

RIO - A participação dos domicílios urbanos com rendimento per capita até meio salário mínimo caiu para 19,4% em 2007, contra 25,5% em 1997. Os dados constam da Síntese de Indicadores Sociais, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Valor Online |

De acordo com o IBGE, o movimento de queda de participação deste tipo de domicílio no total de residências do país acontece de maneira similar em quase todas as regiões do país.

O maior percentual de domicílios tem rendimento médio per capita entre meio e dois salários mínimos. Esta fatia, que representava 48,8% do total de residências em 1997, pulou para 53,3% no ano passado.

Entre os domicílios do estrato mais baixo de renda, apenas 42% possuíam, no ano passado, atendimento simultâneo de serviços de saneamento com rede de abastecimento de água, ligação com rede de esgoto sanitário e serviço de coleta de lixo diretamente no domicílio. Na média geral, 62,4% dos domicílios possuíam atendimento simultâneo desses serviços, enquanto na faixa acima de cinco salários mínimos o atendimento chegava a 77,2% no ano passado.

"Ao se analisar esta situação tendo como parâmetro o rendimento médio mensal domiciliar per capita, observa-se que, conforme esperado, quando crescem os rendimentos, há um aumento gradativo do percentual de domicílios com atendimento de serviços simultâneos", diz a pesquisa do IBGE.

A pesquisa também mostra grande diferença regional, uma vez que no Norte do país apenas 16,1% dos domicílios eram atendidos simultaneamente pelos três serviços, enquanto no Sudeste o atendimento chegava a 83,7% das residências. No Centro-Oeste o patamar era de 34,8%; no Nordeste era de 37,6% e no Sul chegava a 63%.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG