Por Peter Murphy SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO, Brasil (Reuters) - Produtores de café brasileiros estão reduzindo as compras de fertilizantes químicos e elevando o uso de adubos orgânicos para reduzir custos de produção, em um momento em que os preços dos fertilizantes estão em picos históricos.

Técnicos de grandes cooperativas de cafeicultores no Brasil disseram que as compras de fertilizantes estão cerca de 20 por cento menores atualmente, período de final de safra quando tradicionalmente os produtores já começam a comprar insumos visando o próximo ciclo de produção.

Sob pressão de custos elevados com insumos e mão-de-obra, além da recente valorização do dólar, produtores de café estão recorrendo a materiais como esterco de boi para não perder muito nas margens de lucro.

'Muitas vezes eles (produtores) dispõem desses materiais mas não o utilizam. Só que em tempos de crise você tem que reduzir custos', afirmou Marcelo de Moura Almeida, gerente da Cooparaiso, uma das maiores cooperativas de cafeicultores do país.

Segundo ele, as vendas de fertilizantes estão lentas na cooperativa no momento, quando normalmente produtores estariam comprando bastante para preparar os campos para uma boa floração após as chuvas da primavera.

Almeida acredita que as vendas de adubos químicos no próximo ciclo da cultura deverão cair cerca de 20 por cento.

O agrônomo Ricardo Lima Andrade, da cooperativa Cocapec, na mesma região de produção, afirma que a situação também ocorre entre os associados da entidade.

'Os fertilizantes pesam no custo de produção. Normalmente eles respondem por entre 30 e 35 por cento do total, mas atualmente está acima disso', afirmou Andrade.

'O resultado é que o produtor vai utilizar menos e vai recorrer a produtos alternativos'.

A Cooparaiso está incentivando produtores a realizarem a análise dos solos para identificação com mais exatidão das necessidades de nutrientes, evitando desperdício de fertilizante. A cooperativa oferece o serviço, cobrando uma taxa. Dezenas de pequenos sacos plásticos com amostras de solo estavam aguardando análise no laboratório da entidade.

Produtores dizem que um eventual impacto da redução de uso de fertilizantes químicos só será sentido na safra 2010/11, já que o efeito residual da safra atual ainda auxiliará as plantas na nova safra (2009/10).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.