O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), do Ministério da Justiça, aprovou hoje, por unanimidade e sem restrições, a fusão entre a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), anunciada este ano. A votação no conselho foi feita em rito sumário, um procedimento adotado quando o órgão entende que não há nenhum risco à economia.

A BM&F Bovespa protocolou, na última sexta-feira (dia 4), o pedido de registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Naquele mesmo dia, o presidente do Conselho de Administração da BM&F Bovespa, Gilberto Mifano, disse que a expectativa é de que até meados de agosto a empresa receba o registro e comece a negociar seus papéis no pregão da Bovespa.

Enquanto não for concluído o processo de registro perante a CVM e de listagem de ações no Novo Mercado da Bolsa brasileira, as ações da BM&F e da Bovespa Holding continuarão a ser negociadas sob os códigos atuais - ou seja, BMEF3 e BOVH3, respectivamente.

Bancos

O Cade também aprovou em rito sumário a compra do banco de investimento Banco Bear Stearns pelo JP Morgan, ocorrida também este ano, em decorrência da crise do mercado de hipotecas nos Estados Unidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.