Pequim, 1 out (EFE).- A divisão Ásia-Pacífico da empresa de estabelecimento britânica Cadbury decidiu retirar das lojas de Pequim 11 de seus produtos fabricados em sua instalação da capital chinesa por causa das suspeitas sobre alguns elementos usados neste complexo.

Na última segunda, a divisão Ásia-Pacífico da Cadbury, com sede em Cingapura, já optou por retirar estes mesmos produtos das estantes dos pontos de venda de Hong Kong.

Apesar de não terem sido especificadas então as razões desta decisão, a imprensa internacional especulou com a possibilidade de que estivesse relacionada ao escândalo do leite adulterado com melamina, que poderia ter sido usada na elaboração dos chocolates da Cadbury.

Segundo informação de hoje da agência de notícias chinesa "Xinhua", a Cadbury pode ter recebido uma advertência "oral" das alfândegas de Hong Kong nas quais lhe teria feito um alerta sobre a possibilidade de que seus produtos "contivessem substâncias similares à melamina".

A "Xinhua", que citou o jornal "Beijing Times" como fonte, acrescentou que a empresa de estabelecimento enviou na última segunda uma mensagem a todos os seus distribuidores na qual afirmou que tinha "suspeitas sobre alguns dos elementos usados em produtos elaborados pela fábrica da Cadbury em Pequim" e defendeu que estes fossem retirados "até que estas suspeitas" fossem "dissipadas nos laboratórios".

"Prestamos muita atenção ao desenvolvimento do escândalo dos produtos lácteos contaminados por melamina química na China", afirmou a Cadbury na carta.

"Não distribuiremos nossos produtos até que seja confirmado que são aptos para o consumo", acrescentou.

A fábrica da Cadbury em Pequim tem dez tipos de chocolate e um de balas para os mercados de toda China, Taiwan e Austrália. EFE ub/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.