Tamanho do texto

O ex-banqueiro Salvatore Alberto Cacciola prestou depoimento hoje na Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros, da Polícia Federal, em inquérito que investiga uso de informação privilegiada no episódio da maxidesvalorização do real em 1999

selo

O ex-banqueiro Salvatore Alberto Cacciola prestou depoimento hoje na Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros, da Polícia Federal, em inquérito que investiga uso de informação privilegiada no episódio da maxidesvalorização do real em 1999. Ouvido como testemunha, e não réu do processo, Cacciola ficou na sede da Polícia Federal no Rio das 9h da manhã ao início da tarde. A polícia deve convocar outras partes envolvidas no episódio.

O teor do depoimento de Cacciola não foi divulgado. Segundo fontes, no entanto, ele teria repetido ao delegado afirmações já feitas em CPI no Congresso e em seu livro "Eu, Alberto Cacciola, confesso", nos quais acusa o ex-presidente do Pactual Luis César Fernandes de ter operado com informações privilegiadas no período.

O inquérito foi aberto em 2001, mas o depoimento de Cacciola foi impossibilitado devido a sua fuga para a Itália. O ex-banqueiro voltou ao Brasil há quase dois anos, após ser preso no Principado de Mônaco, e está hoje em Bangu 8. O ex-banqueiro foi condenado a 13 anos por peculato e gestão fraudulenta dos bancos Marka e FonteCindam.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.