O C3 brigou com o Punto até o último minuto e perdeu a segunda posição por pouco. O desempate ficou por conta do custo da manutenção, um pouco mais alto.

Numa cesta com cinco itens, o preço médio das peças de reposição do Citroën foi de R$ 290,57. As de Polo e Punto ficaram em, respectivamente, R$ 278,10 e R$ 215,40.

A linha 2009 recebeu reestilização leve, com retoques na dianteira (grade e pára-choque), calotas, rodas, revestimento dos bancos e da alavanca do câmbio. Manteve os predicados, mas também conservou seus defeitos.

Único dos três com direção elétrica e painel digital, o C3 é o que oferece a condução mais suave. Mas isso não quer dizer que ele seja o melhor de guiar.

Achar a posição ideal de dirigir não é tarefa das mais fáceis, mesmo com os ajustes de altura do banco do motorista e o volante regulável em altura e profundidade.

Como no Punto, o espaço interno do C3 deixa a desejar. Atrás, três pessoas ficam apertadas, mas os bancos (mais macios que os dos rivais) oferecem conforto.

Os pontos altos do hatch são visibilidade, por causa da ampla área envidraçada, e porta-malas, com capacidade para 305 litros.

Como vem bem equipado, o C3 Exclusive tem lista de opcionais escassa, que tira a liberdade do cliente escolher (há muitos pacotes). Ar-condicionado digital passou a ser oferecido na linha 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.