SÃO PAULO - O presidente dos EUA, George W. Bush, sancionou hoje mesmo a lei que prevê o uso de US$ 700 bilhões para a compra de títulos podres ligados a hipotecas que estão nas carteiras de bancos, seguradoras e fundos de pensão.

O projeto, que passou no Senado com 74 votos favoráveis, foi aprovado nesta tarde pelos deputados, por 263 votos a 171.

A proposta original do governo havia sido rejeitada pelos deputados na segunda-feira, derrubando as bolsas pelo mundo inteiro. No Senado, recebeu mudanças, as quais ajudaram na aprovação.

A principal novidade em relação ao pacote que foi rejeitado é o aumento na garantia para depósitos de correntistas dos bancos dos EUA de US$ 100 mil para US$ 250 mil entre a data da publicação da lei e o final de 2009.

O projeto prevê que a Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), entidade responsável por essas garantias, não terá limites para tomar recursos emprestados do Departamento do Tesouro para assegurar esses pagamentos. Atualmente esse limite, que nunca foi usado, é de US$ 30 bilhões. O pedido feito pela FDIC era para elevá-lo para US$ 100 bilhões, mas os senadores decidiram acabar com o teto da linha de crédito para dar maior segurança para os correntistas.

Vale ressaltar que, no fim do segundo trimestre, a FDIC tinha cerca de US$ 45 bilhões para garantir depósitos totais de US$ 4,5 trilhões.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.