Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bush reitera apelo a Congresso para que aprove TLC com Colômbia

Washington, 20 set (EFE) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu novamente ao Congresso americano que aprove o Tratado de Livre-Comércio (TLC) com a Colômbia, porque não fazer isso seria encorajar as vozes do populismo na vizinhança.

EFE |

O Congresso deve aprovar o TLC porque, "mais que um acordo econômico, é uma declaração de amizade", disse Bush durante uma entrevista coletiva no jardim da Casa Branca junto com o presidente colombiano, Álvaro Uribe.

Bush elogiou a "firme liderança" de Uribe e descreveu a Colômbia como um de seus "mais estreitos aliados" na região.

O governante americano lembrou que, sob o mandato de Uribe, houve uma redução significativa nos homicídios, seqüestros e atividades terroristas que, em sua opinião, são "um recorde".

Além disso, reiterou o agradecimento pela libertação dos três prestadores de serviço ao Pentágono americanos que estavam em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde fevereiro de 2003 e que foram resgatados pelo Exército colombiano em 2 de julho.

O presidente americano disse que viajará à Assembléia Geral das Nações Unidas em Nova York na próxima semana, onde advogará "um comércio livre e justo" e mandará uma "mensagem clara" sobre a importância do comércio para o bem-estar econômico.

Bush destacou que, no ano passado, a metade do crescimento econômico dos Estados Unidos se deveu às exportações e que o TLC com a Colômbia é bom para os EUA não só em matéria econômica, mas também pela segurança nacional.

Uribe iniciou na sexta-feira uma visita a Washington para dar um último empurrão à ratificação do TLC, assinado em novembro de 2006 pelos dois países, mas freado pela oposição democrata.

Nesse sentido, o chefe de Estado colombiano reiterou hoje a importância que o TLC tem para atrair mais investimentos à Colômbia.

Da reunião entre Bush e Uribe participaram também a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, e a embaixadora da Colômbia nos Estados Unidos, Carolina Barco, entre outros funcionários.

Ainda não se sabe se o Congresso americano realizará uma sessão especial após o pleito presidencial de 4 de novembro, conhecida como "lame duck", na qual poderia ocorrer a votação do TLC.

Antes de ir para Nova York, Uribe se reunirá com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, e com líderes da comunidade colombiana.

Também assistirá, esta noite, a uma recepção em sua homenagem oferecida por Bush. EFE mp/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG