Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bush reconhece pela 1ª vez que EUA estão em recessão

O presidente dos EUA, George W. Bush, reconheceu pela primeira vez que a economia dos EUA está em uma recessão, em um breve pronunciamento sobre economia.

Agência Estado |

Ele também expressou preocupação com os trabalhadores que perderam empregos na desaceleração da economia e disse que sua administração está trabalhando para estabilizar os mercados financeiros e liberar crédito.

Sobre o maior corte no número de vagas em um mês desde 1974, de 533 mil em novembro, Bush disse que o indicador "reflete o fato de que a economia está em uma recessão". "Isto é, em grande parte, por causa dos severos problemas em nossos mercados de moradia, crédito e financeiro, que resultaram em perdas significativas de empregos", acrescentou.

Bush disse que sua administração está focada "nas causas que deram origem" à recessão - obstrução nos mercados de crédito e desaceleração do setor de moradia. Ele observou sinais positivos vindos dos mercados de crédito. "O crédito está começando a se mover. Um mercado que estava congelado está degelando", disse. "Ainda há muito trabalho a fazer, mas existem alguns sinais animadores."

Sobre o mercado de moradia, Bush disse que sua administração vai agir para ajudar os proprietários de imóveis a evitar as execuções de hipotecas. Contudo, o presidente não mencionou qualquer nova proposta. "As taxas de juro ajudam a recuperação do mercado de moradia e as taxas de juro e hipotecárias estão caindo", disse. "E mais, existe um número de programas em vigor para ajudar os americanos a permanecerem em suas casas", acrescentou.

Bush concluiu seus comentários com uma observação de esperança, em oposição às preocupações de que a economia está rumando para uma recessão mais profunda e prolongada do que se esperava anteriormente. "Vai levar tempo para que todas as ações que tomamos tenham seu completo impacto, mas eu estou confiante de que as medidas de que estamos falando vão ajudar a consertar os problemas em nossa economia e torná-la forte novamente", disse Bush. "Minha administração está comprometida em assegurar que nossa economia prospere e eu sei que a próxima administração partilha o mesmo compromisso."

Pacote

A Casa Branca sinalizou que sua avaliação de um segundo pacote de estímulo econômico não mudou, apesar da acentuada deterioração do mercado de mão-de-obra dos EUA. "Isso é algo que esperamos que vai acontecer na próxima administração", disse o porta-voz da Casa Branca Scott Stanzel. "A próxima administração indicou que sua primeira tarefa será um estímulo (econômico)."

Stanzel disse que a administração está avaliando as idéias para ajudar a economia, mas que está atualmente focado em seus programas em andamento para lidar com o aperto no crédito e desaceleração do setor de moradia. "Nosso foco neste momento é a implementação dos programas que temos diante de nós", disse Stanzel.

Hipotecas

A Associação dos Bancos Hipotecários dos EUA (MBA, na sigla em inglês) informou que o número de compradores de imóveis em atraso com suas prestações de hipotecas alcançou o nível recorde de 6,99% do total no terceiro trimestre, de 6,41% no segundo trimestre e 5,59% no terceiro trimestre de 2007. O número de casos de empréstimos hipotecários que estão em algum ponto do processo de execução alcançou o recorde de 2,97% do total no terceiro trimestre, de 2,75% no segundo trimestre e 1,69% no terceiro trimestre do ano passado.

O número de processos de execução de hipotecas iniciados no terceiro trimestre, porém, reduziu-se a 1,07% do total no terceiro trimestre, de 1,08% no segundo trimestre, de 0,78% no terceiro trimestre de 2007. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG