Washington - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta terça-feira estar convencido que o plano de resgate financeiro aprovado na sexta-feira estabilizará os mercados, mas advertiu que passará algum tempo antes que tenha pleno efeito.

"Será necessário algum tempo para que o plano tenha pleno efeito", declarou Bush em reunião com pequenos empresários em Chantilly, na Virgínia, um dia depois de as bolsas nova-iorquinas registrarem uma forte queda e, o índice Dow Jones fechar abaixo dos 10 mil pontos pela primeira vez desde 2004.

Segundo Bush, o multimilionário plano de resgate de US$ 700 bilhões aprovado na sexta-feira pelo Congresso americano, que permitirá ao Governo adquirir ativos tóxicos nas mãos dos bancos, "ajudará a estabilizar mercados voláteis".

Ele reiterou que a medida será positiva não só para os EUA, mas também para os mercados estrangeiros.

O chefe de Estado lembrou que a crise creditícia é o principal problema enfrentado pela economia americana, mas frisou que não é algo exclusivo do país.

"Nações ao redor do mundo estão sofrendo suas próprias e severas crises creditícias", afirmou Bush, que se referiu, concretamente, às dificuldades atravessadas por países europeus.

Defendeu também a independência energética e fez insistência sobre a necessidade de apostar nas energias renováveis e na prospecção em alto-mar.

"Os EUA deveriam realizar perfurações petrolíferas nos EUA em vez de enviar dinheiro ao exterior", assegurou.

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

Leia mais sobre Fed

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.