Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bush pede para Congresso levantar moratória para prospecções petrolíferas

Washington, 19 jul (EFE) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu hoje ao Congresso que levante a moratória para as prospecções petrolíferas em alto-mar, depois da eliminação do veto do Executivo para lutar contra os altos preços do petróleo.

EFE |

"Os líderes democratas têm que demonstrar que escutaram as frustrações dos americanos" pelos altos preços da gasolina, disse Bush em seu discurso radiofônico dos sábados.

Por isso, o Congresso, de maioria democrata, deveria fazer o mesmo que ele, levantar a moratória e aprovar uma lei que permita a prospecção petrolífera responsável em alto-mar, afirmou.

Bush anunciou na segunda-feira o fim do veto presidencial às prospecções petrolíferas em alto-mar porque considera que deixar de atuar é inaceitável perante a escalada dos preços do petróleo.

A prospecção na plataforma continental em águas americanas é proibida pelo Congresso, que, até o momento, não mostrou nenhum interesse em levantar seu próprio veto.

"Faz um mês desde que pedi ao Congresso que levante o veto e este não fez nada. Isso significa que o único que se interpõe agora entre o povo americano e estes vastos recursos petroleiros é uma medida do Congresso americano", reiterou Bush.

"O quanto antes o Congresso levantar a moratória, antes poderemos desviar estes recursos desde o oceano aos postos de gasolina", disse.

A Casa Branca admite que os preparativos poderiam demorar anos, mas também estima que só começar poderia reduzir a pressão sobre os preços de modo gradual.

O Governo acredita que as prospecções petrolíferas em alto-mar servirão para expandir a produção nacional de petróleo.

A proibição presidencial às prospecções petrolíferas na plataforma continental em águas profundas americanas datava de 1990, quando foi imposta por George Bush, pai do atual presidente.

George W. Bush ressaltou em seu discurso sabe que, a curto prazo, a economia americana seguirá dependendo do petróleo, mas ressaltou que, "a longo prazo", a economia "depende do desenvolvimento de tecnologias para energias alternativas".

Neste contexto, o presidente afirmou que sua Administração trabalha para estender o uso de energia nuclear "limpa e segura", a energia solar e eólica e a tecnologia "limpa" para o carvão, assim como em pesquisas para baterias híbridas.

Além da eliminação do veto presidencial às prospecções petrolíferas em alto-mar, o Governo, esta semana, resgatou as duas firmas hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac, com um aumento nas linhas de crédito e a possibilidade de adquirir ações.

Estes passos requerem a aprovação do Congresso, pelo que Bush pediu aos legisladores que aprovem o mais rápido possível o plano de resgate.

Também pediu para aprovar outras iniciativas para fortalecer ao regulador independente das duas empresas, modernizar a Administração Federal de Moradia e permitir que se emitam depósitos livres de impostos para refinanciar as hipotecas de alto risco.

Apesar das dificuldades enfrentadas pela economia americana, Bush considera que o mercado mostrou uma "destacável resistência" às turbulências.

Por isso, assegura que a economia nacional sairá "deste difícil período" e que "sairá mais fortalecida" desta crise. EFE cae/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG