O presidente norte-americano George W. Bush elogiou a aprovação do plano de ajuda às instituições financeiras pela Câmara dos Representantes.

Em breve declaração nos jardins da Casa Branca, ele afirmou que a lei "é essencial para ajudar a economia a enfrentar a crise financeira". O projeto foi aprovado pela Câmara por 263 votos a favor e 171 votos contrários. Espera-se que Bush assine a lei ainda hoje.

De acordo com Bush, o relatório mostrando uma inesperada e grande perda de postos de trabalho no mês passado nos EUA representou uma "notícia decepcionante que coloca em destaque a urgência da lei que o Congresso aprovou hoje". O presidente elogiou os líderes dos dois partidos no Congresso por seu trabalho duro e cooperação.

"Ao se unirem neste projeto, nós agimos com coragem para ajudar a evitar que a crise em Wall Street se torne uma crise nas comunidades em todo o país", afirmou Bush. A aprovação também envia um sinal ao mundo de que os EUA vão agir para "estabilizar nossos mercados financeiros e manter um papel de liderança na economia global", acrescentou.

Bush reconheceu a ampla preocupação sobre usar o dinheiro do contribuinte para salvar bancos, mas disse que o custo final será "bem menor" do que o gasto inicial do governo, uma vez que o plano é vender os ativos problemáticos de volta para o mercado assim que este se recuperar. Ele alertou que os "americanos devem também esperar que leve algum tempo para que a legislação tenha seu total impacto sentido em nossa economia". As informações são da agência Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.