Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bush elogia aprovação a resgate financeiro mas alerta que alívio vai demorar

O presidente George W. Bush elogiou neste sábado os congressistas republicanos e democratas pela aprovação do plano de resgate bilionário para o setor bancário, mas advertiu que o alívio à crise não será instantâneo.

AFP |

A Cámara de Representantes, que rejeitara a versão original da estratégia financeira, aprovou na sexta-feira um texto revisado que já fora adotado pelo Senado na quarta-feira. Bush promulgou a lei logo depois da votação no Congresso.

Em seu programa semanal de rádio, o presidente dos Estados Unidos admitiu que foi uma votação difícil para os legisladores democratas e republicanos.

"Valorizo sua boa vontade de trabalhar além das ideologias partidárias em meio a um período eleitoral", disse Bush.

"O plano dá as ferramentas necessárias para enfrentar o problema de nosso sistema financeiro".

No entanto, afirmou que o custo final para os contribuintes será "muito menor" (o valor inicial do projeto, de 700 bilhões de dólares, subiu a 850 bilhões depois das alterações no Senado) porque com o passar do tempo "provavelmente aumentará" o valor dos ativos que o Estado vai adquirir como parte do plano.

"Isto significa que o governo deve ser capaz de recuperar grande parte, senão tudo, do gasto original", disse Bush.

Porém, advertiu que o alívio à crise vai demorar a ser sentido.

"Depois de atravessar todas as etapas, poderemos começar a situar nossa economia no caminho da recuperação. Embora estes esforços sejam efetivos, demorarão a ser implementados".

"Meu governo vai atuar o mais rápido possível, mas os benefícios deste plano não serão sentidos em seu conjunto imediatamente. O governo federal assumirá este plano de resgate a um ritmo cuidadoso e pausado para garantir que o dinheiro de seus impostos seja investido com acerto", enfatizou o presidente.

Bush se mostrou otimista em relação ao resultado da estratégia aprovada pelo Congresso para Wall Street.

"Ao ter nossos mercados funcionando, ajudaremos a estimular a chave de nosso êxito econômico ininterrupto: o espírito empreendedor do povo americano".

ch/fp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG