Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bush censura Congresso por sair de férias sem medidas contra alta do petróleo

Washington, 2 ago (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, repreendeu hoje o Congresso, dominado pelos democratas, por ter entrado em um mês de recesso antes de tomar uma medida para atenuar as conseqüências da escalada dos preços do petróleo.

"Infelizmente, os líderes democratas estão saindo da cidade sem tomar nenhuma ação para aliviar a carga dos elevados preços da gasolina sobre as famílias dos EUA", disse Bush em seu programa de rádio semanal, aos sábados.

Bush atribuiu a alta dos preços da gasolina ao fato de "a oferta não ter estado a par com a demanda", por isso insistiu em que os EUA precisam aumentar o fornecimento de petróleo, "principalmente do petróleo produzido em casa", disse.

Em junho, Bush suspendeu o veto às prospecções petrolíferas e pediu ao Congresso para suspender a proibição legislativa que impede a exploração de petróleo em alto-mar, em uma tentativa de lutar contra os altos preços da commodity.

Segundo Bush, a exploração da plataforma continental em águas americanas poderia produzir até 18 bilhões de barris do petróleo, "quase o equivalente a 10 anos da produção atual", destacou.

Além disso, o presidente dos EUA afirmou que suspender essa proibição criaria oportunidades de negócio e novos postos de trabalho.

O desemprego está atingindo os americanos, já que o índice de desocupação de julho, divulgado esta semana, ficou em 5,7%, o mais alto em quatro anos.

Bush reconheceu que a exploração desses recursos levará tempo, por isso pediu que o Congresso suspenda seu veto.

"Quanto mais rápido o Congresso suspender seu veto, o quanto antes poderemos tirar esse petróleo do mar e levá-los aos postos de gasolina", disse Bush.

A proibição presidencial às prospecções petrolíferas na plataforma continental em águas profundas americanas datava de 1990, quando foi imposta pelo então presidente dos EUA, George Bush, pai do atual chefe de Estado americano.

George W. Bush destacou em sua declaração que, além disso, o Congresso precisa aprovar uma lei mais ampla que permita a prospecção em áreas restritas no norte do Alasca e que permita a expansão da capacidade das refinarias americanas.

O Congresso é contra suspender a proibição às prospecções em alto-mar, por causa do temor da poluição, que pode prejudicar os ecossistemas e o turismo nos estados litorâneos.

Segundo Bush, essa "falta de ação" é "inaceitável", e o presidente pediu mais uma vez que o Congresso volte atrás e suspenda o veto, para garantir que a economia americana "continue sendo a mais forte, a mais dinâmica e a mais otimista do mundo". EFE elv/wr/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG