SÃO PAULO - A americana Bunge e a japonesa Itochu anunciaram ontem que selaram uma aliança para desenvolver em conjunto dois projetos sucroalcooleiros no Brasil. No total, os investimentos deverão somar US$ 800 milhões nos próximos quatro anos.

A Bunge deverá aportar US$ 640 milhões e a trading Itochu, os US$ 160 milhões restantes.

A Bunge explicou que a primeira joint venture envolve a usina Santa Juliana, localizada no município mineiro de mesmo nome. Comprada pela multinacional em setembro de 2007, a unidade já opera e tem capacidade para processar 1,6 milhão de toneladas de cana por ano.

A partir dos aportes programados, afirma Adalgiso Telles, diretor corporativo da companhia, esta capacidade será ampliada para 4,2 milhões de toneladas. " Trata-se de uma usina com logística excepcional " .

A outra tacada dos novos parceiros ainda é mantida em sigilo, já que prevê a construção de uma usina nova. Nesse caso, a única informação confirmada pelos parceiros é que a Bunge entrará com 80% dos recursos, cabendo aos japoneses os demais 20%.

" Procurávamos um parceiro grande para compartilhar esse mercado. O potencial do segmento de açúcar e álcool é grande e esta parceria poderá ser até ampliada no futuro " , disse Telles.

Na semana passada, a Bunge já havia anunciado a aquisição da usina Monte Verde, situada em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. Esta deverá começar a rodar em maio do ano que vem, com capacidade para processar 1,4 milhões de toneladas de cana por safra.

Apesar de não fazer parte da aliança com os japoneses, também há planos para ampliar a unidade sul-mato-grossense para 4,5 milhões de toneladas, também em quatro anos. Com logística menos privilegiada, esta usina, segundo Telles, destaca-se pela tecnologia de última geração.

Sobre os planos de expansão neste mesmo segmento sucroalcooleiro no Estado de Tocantins, Telles limitou-se a informar ao Valor que ainda não há nada de concreto para ser anunciado.

O executivo ressalta, entretanto, que a estratégia da multinacional no segmento também se apóia em atividades de trading, que começou com o açúcar mas começa a ser ampliada para abraçar também o etanol, que exige uma infra-estrutura adequada de escoamento.

No pacote de investimentos acertado com a Itochu, haverá aportes em logística para esse escoamento, ainda que eles também não tenham sido relevados.

" Além do açúcar e do álcool, também pretendemos atuar na co-geração de energia elétrica [a partir do bagaço da cana], o que reduzirá nossos custos e gerará receita [com a venda do excedente para terceiros] " , disse Telles.

Tanto nos planos que envolvem a usina Santa Juliana quanto na estratégia para a Monte Verde, o executivo afirmou que os planos são de mecanizar pelo menos 90% da colheita de cana.

" É grande o potencial de crescimento desse segmento também para a empresa " , reconhece Telles. Ele não informou que participação pode ter a área no faturamento do grupo no país, que em 2007 alcançou R$ 22,5 bilhões (a receita líquida global foi de US$ 45 bilhões). A Itochu faturou globalmente US$ 120 bilhões no ano passado.

(Fernando Lopes | Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.