Londres, 10 out (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, pediu hoje que outros países sigam o exemplo de seu país a fim de resgatar o sistema financeiro internacional, em artigo publicado pelo diário The Times.

O líder trabalhista pediu que outros Governos que ajudem a recapitalizar seus bancos em dificuldades e ofereçam similares garantias para convencê-los que realizar empréstimos interbancários.

O plano de resgate britânico, anunciado na quarta-feira, disponibiliza até 500 bilhões de libras (aproximadamente 637,548 bilhões de euros) de dinheiro público entre injeções diretas ao sistema e garantias às emissões de dívida dos bancos a médio prazo destinadas a restabelecer a confiança.

O plano britânico difere abertamente do anunciado por Washington, que consiste na compra pelo Estado dos chamados "ativos tóxicos" dos bancos locais e que foi fortemente criticado por alguns analistas.

Brown assinalou que "cada banco em cada país deve cumprir requisitos de capital capazes de inspirar confiança", e assinalou que da mesma forma que seu Governo decidiu colocar diretamente à disposição dos bancos 50 bilhões de libras, outros países com entidades insuficientemente capitalizadas devem fazer o mesmo.

Mas a liquidez a curto prazo serve apenas para manter em funcionamento o sistema, explicou Brown, que acredita que o importa realmente para o futuro é "abrir os mercados monetários que estiveram fechados ao financiamento a médio prazo por parte do setor privado".

Em seu artigo, Brown também defendeu "uma solução global" para um problema que é igualmente global, e explicou que, pessoalmente, jamais imaginou que teria de recorrer à compra pelo Estado de participações nos bancos.

O líder trabalhista justificou sua ação, que alguns qualificaram de nacionalização parcial dos bancos, assinalando que a crise obriga a renunciar a "velhos dogmas" e a adotar soluções novas. EFE jr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.