Por Peter Griffiths LONDRES (Reuters) - Os bancos devem revelar a verdadeira escala de seus ativos ruins para ajudar a reviver o congelado mercado global de crédito, afirmou neste sábado o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, enquanto representantes de seu governo se reúnem com chefes de bancos para elaborar um novo plano de auxílio ao setor.

Em uma entrevista ao Financial Times, Brown afirmou que qualquer recuperação do pior momento econômico em 70 anos irá depender de os bancos cancelarem empréstimos tóxicos para tentar restaurar a confiança no sistema financeiro.

A expectativa é que o governo britânico anuncie novas medidas no início da próxima semana para impulsionar os empréstimos bancários, numa tentativa de ajudar a Grã-Bretanha a evitar uma dolorosa e profunda recessão.

Apesar de um auxílio multibilionário no ano passado e uma série de cortes recordes na taxa básica de juros, os bancos continuam não desejando elevar os empréstimos, na medida em que tentam reforçar seus cofres e evitar riscos.

As ações dos maiores bancos britânicos afundaram na sexta-feira por temores de mais baixas contábeis e retorno de um movimento de vendas depois de uma suspensão temporária. O Barclays foi o mais atingido. Suas ações caíram 25 por cento, a 0,98 libra, nível mais baixo desde 1993.

Depois que os mercados fecharam, o banco tomou a medida incomum de revelar que espera lucro antes de juros em 2008 "bem à frente" da previsão de analistas. O Barclays não deve anunciar seus resultados anuais antes de 17 de fevereiro.

Brown está ansioso para fazer os bancos elevarem os empréstimos para empresas e famílias depois de uma séria de dados ruins sobre comércio, desemprego e mercado de moradias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.