Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Brown alerta contra protecionismo financeiro, diz WSJ

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, alertou hoje que a economia global está embarcando em uma forma perigosa de protecionismo financeiro, que pode levar a sérios problemas para os mercados emergentes dependentes de empréstimos de bancos estrangeiros.

Agência Estado |

Brown, que participa do Fórum Econômico Social, em Davos, na Suíça, também disse em entrevista ao Wall Street Journal que o governo britânico não descartou o uso do chamado "banco ruim" (bad bank), se isso for necessário para ajudar as instituições financeiras a se livrar de ativos tóxicos e retomar os empréstimos a mutuários e empresas.

Cada vez mais, os bancos prejudicados pela crise financeira tomam medidas para reduzir os ativos em seus balanços, em um esforço para levantar capital. Hoje, os bancos enfrentam uma batalha de duas frentes contra a volatilidade nos mercados de capital, que pode levar a baixas contábeis, e contra a recessão nas economias.

Mas as medidas tomadas por bancos para reduzir os riscos estão levando a uma nova forma inesperada de desequilíbrio. "Conforme os grandes bancos internacionais ficam sob pressão, há uma retirada para bancos domésticos", disse Brown. "A perda combinada de capacidade no mundo como resultado disso cria perigos reais. O leste europeu é um bom exemplo. Mas todo país é afetado por isso."

Na entrevista, Brown afirmou que se o chamado protecionismo financeiro aumentar, irá se espalhar para a economia ampla e impactar negativamente o comércio global. "O que você tem, então, é uma forma de mercantilismo financeiro", explicou. "Você tem essa retirada para os sistemas bancários domésticos. É a primeira etapa de um protecionismo financeiro que, eventualmente, levará ao tipo de protecionismo comercial que vimos no passado se não estivermos preparados para fazer algo a respeito."

G-20

Brown parece estar preparando a agenda para o encontro do Grupo dos 20 (G-20) - que reúne o grupo dos países mais ricos do mundo e os principais emergentes - em Londres, em abril, afirmando que a pior forma de protecionismo comercial é algo "a que o G-20 precisa responder". "Se você está vendo a destruição da capacidade em países que ficaram vulneráveis como resultado disso, e o único mecanismo para lidar com eles é um resgate do FMI (Fundo Monetário Internacional) no último momento possível, então essa realmente não é uma boa maneira de operar um sistema."

Brown relatou que o Reino Unido tem sido prejudicado pela saída de bancos islandeses e irlandeses que eram credores agressivos. "Por causa da perda de capacidade no sistema bancário britânico, porque bancos estrangeiros saíram e investidores não-bancários também saíram, perdeu-se uma quantidade significativa de capacidade", afirmou Brown.

Separadamente, o premier disse que o governo continua aberto a outras ideias para ajudar os bancos britânicos. "Nós dissemos que somos a favor de avaliar uma série de diferentes maneiras de lidar com isso. Também afirmamos que nosso esquema é suficientemente flexível para lidar com o (programa) banco bom-banco ruim se necessário". As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: gordon brown

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG