Londres - A Iberia confirmou nesta terça-feira o início das conversas com a inglesa Bristish Airways para uma possível fusão entre as duas companhias aéreas, disse a empresa em comunicado ao órgão regulador do mercado acionário espanhol, CNMV.

A empresa disse que o Conselho de Administração da Iberia realizado hoje concordou por unanimidade em discutir a possível fusão e criar uma nova sociedade que possa adquirir as companhias de forma simultânea.

Em coletiva de imprensa, o presidente da Iberia, Fernando Conte, disse que hoje foi dado "um primeiro passo para chegar a uma fusão nos próximos meses", embora não tenha dado uma data exata já que "agora é preciso estudar a forma como será realizado o processo e esperar a aprovação por parte dos órgãos diretores de cada sociedade".

As negociações, que contam com o apoio dos conselhos de administração de ambas as companhias, terá o objetivo de formar um grupo conjunto em que serão mantidas as duas marcas.

Segundo o comunicado, ainda pode levar vários meses até que as condições da fusão sejam acertadas, bem como a definição de um plano conjunto de integração e de negócios para o grupo que seria formado.

Tal plano funcionaria como uma espécie de holding (quando uma empresa possui a maioria das ações de outras empresas e detém o controle de sua administração).

Nele, estariam representadas as duas companhias, que seriam responsáveis pela condução diária de suas respectivas operações.

Ambas as empresas confiam na obtenção da aprovação dos organismos reguladores da União Européia (UE), que já as autorizou a colaborar amplamente.

O executivo-chefe da British Airways, Willie Walsh, disse que o setor da aviação está mudando e fazia tempo que "uma consolidação" vinha sendo requerida.

"Os balanços contábeis combinados, as sinergias previsíveis e a conjunção das redes de ambas as empresas tornam atrativa uma fusão, particularmente no atual entorno econômico", afirmou.

Walsh lembrou que a companhia aérea britânica e a espanhola mantiveram uma relação "bem-sucedida" durante dez anos e assinalou que os acionistas das companhias seriam beneficiados com a eventual fusão.

A British Airways adquiriu em 1999 uma participação de 9% na Iberia, que aumentou recentemente para 13,15%.

A Iberia anunciou hoje que há pouco passou a ter participação direta de 2,99% na British Airways e uma exposição indireta de 6,99% através de "contratos por diferença".

Esses contratos (CFD, em inglês) estabelecem o compromisso de intercambiar a diferença no valor de uma ação entre a abertura e o fechamento de um contrato de compra de títulos.

Desta forma, os possuidores dos CFD estão expostos financeiramente ao preço das ações, mas não são seus proprietários, e não têm, portanto, direito a voto.

Leia mais sobre British Airways - Iberia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.