Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Brent desaba 9,2% e volta a se afastar dos US$ 50

Londres, 7 jan (EFE).- O barril de petróleo Brent deteve hoje sua alta dos últimos dias e desabou 9,2% no mercado de futuros de Londres, voltando a se afastar da barreira psicológica dos US$ 50.

EFE |

O barril do petróleo do Mar do Norte, o cru de referência na Europa, para entrega em fevereiro encerrou a sessão aos US$ 45,86, US$ 4,67 a menos que no fechamento da terça-feira no International Exchange Futures (ICE).

Em sua maior cotação no dia, o Brent chegou a US$ 51,40, enquanto o mínimo foi de US$ 45,67, US$ 4,86 abaixo do último fechamento.

Desta maneira, o mercado de futuros de Londres interrompe sua escalada constante desde a última semana do ano passado.

Desde o período do Natal, o Brent subiu cerca de 32%, com um máximo à véspera do Réveillon, quando o preço subiu 13,5%.

Impulsionado inicialmente pela decisão dos Emirados Árabes Unidos de reduzir sua produção para cumprir o último corte estipulado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), e encorajado pelas notícias de que as reservas americanas subiram menos que o esperado, o petróleo parecia ter rebatido os mínimos abaixo dos US$ 40 por barril que alcançou em meados de dezembro.

Mas a notícia de que as reservas nos Estados Unidos subiram em 6,7 milhões de barris na semana passada, muito mais que o esperado, acabaram com o ânimo dos investidores.

Por volta da metade da sessão na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) para entrega em fevereiro caíam US$ 3,3 em relação à terça-feira, negociados em baixa pelo segundo dia consecutivo.

Os dados divulgados hoje pelo Departamento de Energia dos EUA pegaram de surpresa os operadores ao mostrar altas nas reservas de petróleo superiores às previstas.

No caso do petróleo, o aumento foi quase cinco vezes maior ao calculado por analistas consultados pela empresa de informação de energia Platts. EFE fpb/mh

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG