Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Braskem festeja captação, mas vê redução na liquidez

Por Taís Fuoco SÃO PAULO (Reuters) - Apesar das turbulências nos mercados financeiros de todo o mundo, a Braskem anunciou nesta quinta-feira ter concluído uma captação de 725 milhões de dólares em operação de pré-pagamento de exportações, quando a estimativa inicial era captar 500 milhões de dólares.

Reuters |

Na avaliação do vice-presidente de relações com investidores da companhia, Carlos Fadigas, "o timing foi importante", já que a operação começou a ser estruturada em junho, antes da temporada mais tumultuada nos mercados.

Ele também citou fatores que colocam a empresa em uma posição confortável para captação mesmo neste momento. "A Braskem obtém 75 a 80 por cento da receita no mercado interno, tem mais de 50 por cento de market share e uma base industrial importante, com 19 fábricas, além de atuar no segmento plástico, que cresce mais que o PIB", disse à Reuters.

Apesar disso, a Braskem reconhece que o mercado já vive "uma redução de liquidez e uma dificuldade em precificar essas operações". A companhia acredita que esse cenário deve afetar, principalmente, as empresas médias e pequenas.

A Braskem não vê necessidade de buscar novos recursos este ano, já que fechou o segundo trimestre com 1,8 bilhão de reais em caixa e alongou o prazo médio de sua dívida para 11 anos (eram 10,5 anos em junho) com essa nova captação.

Os recursos foram usados para quitar o pagamento do empréstimo-ponte de 1,2 bilhão de dólares feito em 2007 para adquirir os ativos do grupo Ipiranga na área petroquímica. Em maio deste ano, a Braskem já havia emitido 500 milhões de dólares em eurobonds. A quitação foi feita nesta quinta-feira, segundo Fadigas.

EXPORTAÇÕES DIVERSIFICADAS

A operação é uma antecipação de receita com exportações. Nos últimos 12 meses, as exportações da Braskem totalizaram 2,2 bilhões de dólares em vendas para mais de 40 países, de acordo com comunicado ao mercado.

Segundo Fadigas, a empresa não espera impacto nas suas exportações por conta da crise porque elas têm "uma diversificação de geografias e de produtos".

Um terço das exportações da Braskem vai para países da América Latina, enquanto um terço vai para Estados Unidos e o terço restante para a Europa. Além de resinas termoplásticas, a empresa também vende petroquímicos de primeira geração no exterior, como gasolina e benzeno, explicou o executivo.

O custo do financiamento dos 725 milhões de dólares foi considerado "competitivo" pela empresa: de Libor mais 1,75 por cento ao ano, com prazo final de 5 anos e carência de 3 anos. Para os primeiros seis meses da operação foi pactuada Libor ajustada de 5,016 por cento ao ano.

"Os bancos tinham a possibilidade de aumentar a taxa de 1,75 para 2,4 por cento, mas isso não foi necessário", disse Fadigas.

A operação foi estruturada pelos bancos Calyon, Citibank e Santander --os mesmos que concederam o empréstimo-ponte-- e contou também com a adesão de outras 16 instituições financeiras.

(Edição de Daniela Machado)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG