Entrada de dólares no país alcançou US$ 13,7 bilhões em setembro, mês marcado pela oferta de ações da Petrobras

A entrada de dólares no país alcançou US$ 13,726 bilhões em setembro, mês marcado pela oferta de ações da Petrobras e por várias emissões de títulos corporativos no exterior, informou o Banco Central nesta quarta-feira. É o maior ingresso líquido de recursos em um mês desde outubro de 2009.

A expressiva entrada de dólares foi garantida pelas operações financeiras, que tiveram superávit de US$ 16,716 bilhões no mês passado. Trata-se do resultado mais positivo para esse componente desde o início da série histórica do BC, em 1982.

Nas operações comerciais, houve déficit de US$ 2,989 bilhões em setembro. Com isso, o fluxo cambial no ano está positivo em 18,098 bilhões de dólares.

Em setembro, o BC incorporou às reservas US$ 10,757 bilhões por meio de leilões de compra no mercado à vista. As operações empurraram as reservas internacionais ao recorde de mais de US$ 275 bilhões.

A posição de câmbio dos bancos diminuiu um pouco, mas permaneceu fortemente vendida, em US$ 12,427 bilhões. Em agosto, as instituições tinham vendas líquidas de US$ 13,724 bilhões.

O BC informou ainda que, em 1o de outubro, o Brasil registrou fluxo positivo de US$ 977 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.