Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Brasil tem 14 grupos na lista de múltis emergentes

O Brasil possui 14 empresas na lista das 100 multinacionais que mais se destacaram nos países emergentes e que têm potencial para desafiar as companhias com sede nos países desenvolvidos. O estudo, realizado anualmente pela empresa de consultoria Boston Consulting Group, foi apresentado ontem, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

Agência Estado |

A base do estudo é o desempenho econômico das companhias durante o ano de 2007, o que exclui os efeitos da crise financeira internacional. As BCG 100, como são chamadas as companhias, somaram receitas de US$ 1,5 trilhão em 2007 e chegaram a superar rivais de países da Europa, dos Estados Unidos e Japão.

Entre as empresas brasileiras que figuram na lista, estão grandes produtores de commodities, como Petrobrás e Vale, e grupos tradicionais como Votorantim, Odebrecht, Gerdau e Embraer. Também estão presentes empresas de produtos de consumo, como os frigoríficos Sadia, Perdigão e JBS Friboi, a fabricante de cosméticos Natura e a têxtil Coteminas. A fabricante de ônibus Marcopolo e a de autopeças WEG também estão no relatório.

A novidade é a entrada do grupo Camargo Corrêa. O grupo foi incorporado à lista das BCG 100 por causa da sua estratégia de internacionalização, que proporcionou crescimento em países da América Latina, África e na Espanha, que levou a uma receita de US$ 6,4 bilhões em 2007. "A empresa dobrou de tamanho entre 2005 e 2007, e sua receita internacional deve crescer de forma ainda mais rápida", descreve o estudo, que não leva em conta o período de agravamento da crise econômica internacional.

O Brasil é o terceiro país com mais empresas na lista, atrás apenas da China (36) e da Índia (20). Em seguida vêm o México, com 7, e a Rússia, com 6. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG