O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta segunda-feira que o Brasil tem interesse em ampliar a exportação de petróleo e derivados para os Estados Unidos. O ministro avalia que um eventual incremento dessas vendas não deve gerar atritos entre o Brasil e a Venezuela, maior fonte do petróleo importado pelos americanos.

O jornal espanhol El País informa, em sua edição desta segunda-feira, que os governos do Brasil e dos Estados Unidos têm mantido contatos informais sobre o assunto. As negociações com o Brasil, segundo o jornal, teriam o objetivo de diminuir a dependência que os Estados Unidos têm do petróleo venezuelano.

"O mundo inteiro quer comprar nosso petróleo. Há uma fila para comprar nosso petróleo", disse Lobão, explicando que o Brasil tem excesso de petróleo pesado e os países precisam fazer "um mix" dos óleos pesados e leves. Ele lembra ainda que, com a exploração da camada do pré-sal, o Brasil também terá uma elevada produção de óleo leve. Edison Lobão ressalta que os Estados Unidos importam petróleo da Venezuela e de vários outros países. "Aqui, como está próximo e somos amigos, eles querem comprar", afirmou. "Temos interesse em deixar de vender? Não", acrescentou o ministro, ao chegar ao ministério.

Ele admitiu a possibilidade de o assunto ser tratado na viagem que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará aos Estados Unidos, na próxima sexta-feira. "Eventualmente pode ter negociação na viagem", disse. Lobão informou que o tema biocombustíveis foi retirado da pauta do encontro de Lula com o presidente dos EUA, Barack Obama. "O Palácio achou melhor deixar para outro momento", disse o ministro, sem dar mais detalhes. "O que não impede Lula de falar sobre o assunto", acrescentou.

Na opinião de Lobão, se for concretizado um acordo comercial com o Brasil, os EUA não devem deixar de comprar da Venezuela, que, segundo o ministro, vende petróleo para abastecer refinarias venezuelanas nos EUA. Lobão entende que a negociação entre Brasil e Estados Unidos não irá criar problemas diplomáticos com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez. "Ele é quem mais vende petróleo. Vende dois milhões de barris por dia, mais do que consumimos internamente no Brasil", afirmou. "O Chávez é amigo do Brasil", acrescentou o ministro.

Os Estados Unidos, na opinião de Lobão, são inclusive potenciais investidores para desenvolver a exploração de petróleo na camada do pré-sal. "Nós queremos investidores. Venham de onde vierem. E mais, os EUA são amigos do Brasil. Somos muito amigos", afirmou, acrescentando que eventuais negociações sobre compra de petróleo são distintas das conversas sobre etanol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.