Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Brasil pode aproveitar crise para mostrar diferencial, diz Steinbruch

SÃO PAULO - O presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Benjamin Steinbruch, disse hoje que o Brasil precisa aproveitar o momento de agravamento da crise internacional para se colocar como um país diferenciado, com condições bem mais positivas do que os demais para enfrentar a situação. Segundo ele, antigamente, em momentos de crise externa, a tendência dos investidores era sair do Brasil e ir para ativos estrangeiros, mas agora ele acredita que o movimento tende a ser contrário. Ontem a minha primeira preocupação foi ver onde estava o dinheiro da CSN, em que bancos.

Valor Online |

Felizmente a maioria está em bancos brasileiros, como BB (Banco do Brasil), Itaú e Bradesco", disse o executivo. A seu ver, a maioria das empresas deve fazer o mesmo, ou seja, se proteger dentro do sistema financeiro nacional.

Steinbruch acredita que, embora não se possa falar em descolamento completo do quadro internacional, é preciso ter "ousadia" para reconhecer o momento atual como uma oportunidade. Além do sistema financeiro sólido no Brasil, o executivo mencionou a boa gestão das empresas, a economia robusta, as reservas financeiras e o petróleo nacional como exemplos positivos do país. "Temos que ser cautelosos, mas não podemos ser covardes", afirmou.

Nesse sentido, Steinbruch voltou a criticar duramente a política monetária do Banco Central (BC), que em sua opinião é "conservadora". O empresário disse que o aumento da taxa de juros lhe causa "ojeriza" e mostra que o Brasil continua se posicionando como se fosse o país vulnerável do passado. "Hoje o governo está dando exemplo de que devemos ficar sentados em cima do caixa, não fazer investimentos e não correr riscos", reforçou.

Para o empresário, a alta da Selic não se justifica neste momento, pois a inflação "não existe", é "assombração". Neste momento, segundo ele, o governo precisa dar crédito e liquidez ao mercado. "Seria eficaz agora sustentar o consumo", reiterou.

Ele participou está nesta manhã do 5º Fórum de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo.

"(Bianca Ribeiro | Valor Online)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG