LA PAZ - O Brasil não prevê reduzir suas importações de gás natural da Bolívia, que flutuam entre os 24 e os 30 milhões de metros cúbicos diários (MMCD), e até poderia ampliar o contrato que termina em 2019, disse neste domingo, em La Paz, o embaixador brasileiro, Frederico Cézar de Araujo.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577723016&_c_=MiGComponente_C

"Os volumes de exportação de gás da Bolívia para o Brasil não diminuirão. Os termos estão estabelecidos no (contrato boliviano-brasileiro) GSA, especialmente os volumes sobre o montante de importação", afirmou o diplomata, citado pela agência governamental de notícias ABI.

Bolívia e Brasil assinaram um contrato de compra e venda de gás por 20 anos, que entrou em vigor em 1999.

Leia mais sobre gás

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.