Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Brasil estuda processar EUA na OMC por sobretaxar etanol

Rio de Janeiro, 2 set (EFE).- O Brasil está estudando a possibilidade de processar os Estados Unidos perante a Organização Mundial do Comércio (OMC) pela sobretaxa americana às importações de etanol, afirmou hoje o ministro das Relações Exteriores Celso Amorim.

EFE |

"Estamos fazendo uma avaliação jurídica e acreditamos que temos um caso jurídico sustentável. Achamos que temos boas possibilidades de vencer e, por isso, é muito provável que o levemos perante a OMC", disse Amorim em coletiva de imprensa com correspondentes estrangeiros no Rio de Janeiro.

"Não há um prazo. Pode ser em um mês, em dois meses. Vai depender da leitura que fizermos da avaliação jurídica e das conversas com os produtores e os advogados", acrescentou.

Os EUA cobram, além da tarifa normal, uma taxa adicional de US$ 0,54 por galão de etanol de cana-de-açúcar importado do Brasil, que é muito mais barato e eficiente que o etanol americano, que é proveniente do milho.

A sobretaxa é considerada como uma medida para proteger os produtores americanos de milho e de etanol e constitui um freio aos planos de expansão do combustível alternativo do Brasil, o maior produtor e exportador mundial de etanol de cana-de-açúcar.

"Consideramos que é uma cobrança indevida. Achamos há algum tempo que se trata de uma taxa ilegal que não tem como ser sustentada", afirmou Amorim.

O possível processo foi anunciado pouco depois de o Brasil solicitar à OMC que retomasse o processo de arbitragem contra os EUA pelos subsídios que esse país dá à produção de algodão. EFE cm/bm/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG