Tamanho do texto

Londres, 26 - O Brasil ainda está atrasado no uso da tecnologia da informação, aponta o Fórum Econômico Mundial. A entidade divulgou hoje, em Genebra, o ranking geral sobre o tema para 2008-2009.

No levantamento, o País aparece na 59ª posição entre 134 nações. A colocação é a mesma alcançada no levantamento anterior, que teve 127 países.

A entidade reconhece que existem práticas do governo brasileiro no mundo eletrônico, assim como iniciativas do setor empresarial. No entanto, essas ações ainda não criaram um ambiente tecnologicamente avançado no País, avalia Irene Mia, economista sênior da Rede de Competitividade Global do Fórum e uma das editoras do relatório. "A exclusão digital, social e econômica que afeta o País é um obstáculo nesse sentido, além do ambiente de mercado que também sofre de excesso de regulação e baixa qualidade do sistema educacional."

As piores notas do Brasil foram obtidas em quesitos relacionados à regulamentação, taxação, burocracia e educação. Ou seja, fatores que não deixam o ambiente propício para o desenvolvimento da tecnologia.

Em compensação, o uso da estrutura disponível recebeu avaliações melhores. A disponibilidade de serviços online do governo, por exemplo, aparece com uma das melhores notas.

Na área empresarial, os destaques positivos são o uso da internet para os negócios e a capacidade de inovação. Entre os indivíduos, o número de computadores pessoais surge como o ponto mais favorável.

O ranking do Fórum Econômico Mundial traz novamente a Dinamarca e a Suécia na liderança. Em seguida, vêm os Estados Unidos, que subiram uma posição no levantamento deste ano. Em quarto lugar ficou Cingapura, seguida por Suíça, Finlândia, Islândia, Noruega, Holanda e Canadá.

O ranking é publicado pelo Fórum Econômico Mundial em parceria com a Insead, uma das principais escolas de administração internacionais, e a Cisco Systems.

(Daniela Milanese)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.