Tamanho do texto

Rio de Janeiro, 11 jul (EFE).- O Governo do Brasil decidiu elevar a meta de exportações do país em US$ 10 bilhões, para US$ 190 bilhões, tendo em vista os resultados favoráveis do primeiro semestre, informou hoje o Ministério de Indústria e Comércio Exterior.

Entre janeiro e junho as vendas externas somaram US$ 90,645 bilhões, o que representa um crescimento médio diário de 24,8% acima dos US$ 73,214 bilhões faturados pelo país na primeira metade de 2007, segundo o escritório.

A meta foi revisada pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério, que não emite projeções sobre importações nem sobre a balança comercial do país.

Mas segundo dados do Banco Central, entre janeiro e junho houve um aumento de 52% nas importações, que chegaram a US$ 79,275 bilhões, a maior alta anualizada desde 1995.

O aumento da receita com exportações é atribuído à forte demanda internacional de matérias-primas e produtos básicos, bens agrícolas, minerais e semiprocessados, protagonistas da pauta de comércio exterior do país.

Em contrapartida, a forte valorização do real frente ao dólar (de perto de 20% em um ano), o aumento da receita efetiva dos consumidores e o auge da atividade industrial e comercial propiciam o constante aumento das importações.

Desta forma até organismos oficiais como o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) já prevêem um déficit em conta corrente de entre US$ 27,5 bilhões e US$ 34,5 bilhões para este ano.

A diferença esperada entre todas as receitas e despesas por bens e serviços para 2008 já triplica as estimativas oficiais formuladas no início de ano pelo Ipea, que eram de US$ 11,5 bilhões. EFE ol/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.