Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Brasil e Venezuela acertam diversos acordos em Manaus

A Petrobras e a Petróleos de Venezuela (PDVSA) firmaram nesta terça-feira um termo de compromisso para a conclusão do estatuto social, do acordo de acionistas e dos contratos de suprimento de petróleo que são necessários para a formalização de sua parceria na refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. A um ministro do governo brasileiro, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, informou que apenas os contratos de suprimento ainda estão incompletos, uma vez que está ainda em debate a fórmula de preços dos derivados a serem produzidos na refinaria e os volumes de petróleo a serem fornecidos pela Petrobras e pela PDVSA.

Agência Estado |

A discussão dessa parceria acontece há quase dois anos. A Petrobras terá o controle acionário da refinaria, com 60% das ações. A PDVSA deterá os 40% restantes. Em dezembro do ano passado, a Petrobras decidiu manter esse projeto, mas abortar a sua contrapartida na Venezuela - a exploração de blocos petrolíferos na faixa do Rio Orinoco, projeto no qual teria 40% das ações.

Siderurgia e habitação

Diante dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e do venezuelano Hugo Chávez, também foi assinado hoje em Manaus o projeto de construção de uma siderúrgica na Venezuela, com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas de aço por ano, pela companhia brasileira Andrade Gutierrez. A Caixa Econômica Federal também se comprometeu a cooperar com o Banco Nacional da Moradia e Habitação (Banavih) da Venezuela nos setores da construção de casas populares e de financiamento dessas obras.

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) apresentou ainda aos presidentes o resultado da segunda etapa da cooperação com a Venezuela na montagem de plantas produtivas de segmentos, especialmente nas áreas de embalagens, refrigeração de alimentos e derivados de petróleo.

Soja

Animado com a parceria em andamento da Embrapa com organismos venezuelanos para a produção de sementes de soja no país, o presidente Lula afirmou que, entre janeiro e fevereiro de 2009 deverá estar presente na primeira colheita do grão na Venezuela.

Aviação

Chávez e Lula assistiram ainda a assinatura de um acordo que prevê o aumento das rotas e das freqüências de vôos entre o Brasil e a Venezuela. Uma das propostas dos dois governos a ser apresentada às companhias aéreas é a criação da rota Caracas-Brasília-Buenos Aires.

Entre os outros acordos assinados está a cooperação na área de agricultura familiar, com a reprodução na Venezuela dos programas brasileiros Mais Alimentos e Fome Zero.

Leia tudo sobre: venezuela

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG