BRASÍLIA ¿ O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, informou nesta quarta-feira, após reunião entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente Paraguaio, Fernando Lugo, a criação de uma mesa de negociações técnicas para discutir as reivindicações do Paraguai em relação à usina hidrelétrica de Itaipu. De acordo com Amorim, a intenção é fazer com que tanto brasileiros quanto os paraguaios se sintam suficientemente atendidos por Itaipu.

Esta reunião foi uma atitude de cooperação e de poucas soluções. Vamos nos reunir dentro de dez dias para tratar das reivindicações apresentadas pelo Paraguai. Não se trata de um jogo em que um ganha e o outro perde, é um jogo em que os dois têm que ganhar, e é isso que estamos procurando fazer, disse o ministro.

Em agosto, o governo Paraguaio entregou ao assessor internacional de Lula, Marco Aurélio Garcia, uma pauta com seis reivindicações. No documento, os paraguaios pedem preço justo pela energia fornecida por Itaipu, autorização para vender a energia da hidrelétrica a outros países e o direito de nomear os diretores financeiro e técnico da usina, hoje exclusividade do Brasil.

Na reunião, foi tratada ainda a questão dos brasilguaios, produtores brasileiros e descendentes brasileiros que vivem no Paraguai e que sofrem hostilidades por parte de pequenos agricultores e sem-terras, autores de invasões em fazendas como forma de pressão pela reforma agrária prometida pelo presidente Paraguaio.

Segundo Amorim, Lugo teria prometido ao governo brasileiro que haverá um tratamento justo e adequado para estas pessoas. As palavras de Lugo foram reconfortantes, ele nos prometeu um tratamento mais adequado a estes brasileiros, ressaltou Amorim. Ele acrescentou ainda que a reunião aconteceu em clima de fraternidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.