Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Brasil é o quinto melhor país do mundo para se investir, afirma Unctad

Genebra - O Brasil é o quinto país mais atrativo no mundo para se investir após conseguir captar US$ 35 bilhões em 2007, diz o Relatório sobre Investimento Mundial da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad) divulgado nesta quarta-feira.

EFE |

O País foi o que mais recebeu investimento estrangeiro direto (IED) na América Latina no ano passado.

Segundo o relatório da Unctad, os países latino-americanos mais atraentes para os investidores continuarão sendo Brasil, México e Chile.

Os altos preços do petróleo e das matérias-primas estimularam o crescimento do IED na América Latina e no Caribe, afirma a Unctad.

O IED cresceu 36% em 2007 em relação ao ano anterior e ficou em US$ 126 bilhões. Apesar do aumento a região atrai apenas 8% do IED mundial.

O relatório deixa clara a incerteza sobre o que acontecerá na América Central e no Caribe por causa de seus estreitos laços com a economia dos Estados Unidos, atualmente em claro declive e enfrentando a pior crise financeira desde a década de 1930.

No mundo, o IED chegou ao nível recorde de US$ 1,8 trilhão em 2007, aumento de 30% em relação ao ano anterior. Porém, em razão da crise financeira global a tendência de crescimento se reverterá nos próximos dois anos, afirma a Unctad.

O resultado do IED superou em US$ 400 bilhões o último nível histórico, registrado em 2000.

"É uma grande notícia este grande fluxo apesar da crise financeira global que já era anunciada no ano passado", declarou o secretário-geral da Unctad, Supachai Panitchpakdi, ao apresentar o relatório.

O crescimento foi percebido em todas as regiões do mundo e nos três subgrupos econômicos: os países desenvolvidos, os países em desenvolvimento e as economias em transição do Leste Europeu e da Comunidade dos Estados Independentes (CEI).

Os países desenvolvidos foram de novo os que mais receberam IED (US$ 1,2 trilhão), liderados pelos EUA.

"Os EUA se beneficiaram com o dólar baixo para atrair investimentos", afirmou Panitchpakdi.

No entanto, o IED recebido pelos países em desenvolvimento registrou o nível mais alto da história (US$ 500 bilhões), expansão de 21% em comparação a 2006.

Segundo os especialistas da Unctad, os níveis sem precedentes de fusões e aquisições além das fronteiras, que refletem o prolongamento da tendência da consolidação das empresas, contribuíram substancialmente para o notável aumento do IED mundial.

No entanto, este processo desacelerará nos próximos meses como aconteceu no primeiro semestre deste ano, quando o arrefecimento da economia e as turbulências financeiras provocaram crise de liquidez nos mercados monetários.

No primeiro semestre o valor das transações internacionais foi 29% menor que o ano anterior.

Considerando estes dados e a informação fornecida pelas empresas e divulgadas no Relatório sobre Investimento Mundial da Unctad, estima-se que o IED ficará em US$ 1,6 trilhão em 2008, o que representaria queda de 10% em relação a 2007.

No entanto, é preciso considerar que o relatório foi feito entre abril e junho deste ano, três meses antes da atual crise financeira, a maior desde os anos 1930.

O documento também analisa a importância das infra-estruturas no desenvolvimento do País e os investimentos além das fronteiras nessa área.

Panitchpakdi disse que, geralmente os países em desenvolvimento não investem o que deveriam em infra-estrutura.

"Há uma brecha substancial", disse o secretário-geral da Unctad, que expressou sua esperança de que o investimento estrangeiro aumente.

Por outro lado, o relatório cita a crescente importância dos fundos soberanos, que têm acumulado rapidamente reservas nos últimos anos e atualmente controlam, segundo estimativas, ativos superiores a US$ 5 trilhões.

Embora os investimentos soberanos em IED sejam mínimos, considerando que representa 0,2% do total de seus ativos, os analistas da Unctad afirmam que esta modalidade de investimento aumentará nos próximos anos.

Leia mais sobre investimentos

Leia tudo sobre: investimentos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG