São Paulo, 0 1 - Brasil e China devem avançar nas negociações relativas ao comércio bilateral de carne suína. Uma missão técnica brasileira, liderada pelo secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Inácio Kroetz, está em Pequim com objetivo de ratificar protocolo que facilitará o comércio do produto entre os dois países.

Kroetz reúne-se até quinta-feira com autoridades da Administração Geral de Supervisão, Inspeção e Quarentena da República Popular da China, segundo assessoria de imprensa da pasta.

O documento determina requisitos de inspeção, quarentena e saúde veterinária para a carne suína exportada e importada entre os países. De acordo com Kroetz, o protocolo estabelece as bases e garantias para certificação sanitária, exigidas pelo país importador. Uma equipe do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, da Secretaria de Defesa Agropecuária (Dipoa/SDA), conhecerá o sistema chinês de inspeção em estabelecimentos produtores de aves termoprocessadas.

A China, economia que mais cresce no mundo, é destino número um dos produtos do agronegócio brasileiro. Com um Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 3,2 trilhões e crescimento previsto de 10%, em 2008, a estimativa de compra de produtos agropecuários nacionais pelo país asiático é de US$ 8,5 bilhões. Os destaques são o complexo soja (farelo, óleo e grãos), que de janeiro a outubro deste ano proporcionou receita de US$ 5,8 bilhões, e os produtos florestais e couro, com vendas no valor de US$ 668,7 milhões, no mesmo período.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.