Tramandaí (Brasil), 24 mar (EFE).- Brasil contará no fim deste ano com um novo parque de energia eólica, que terá capacidade instalada de 70 megawatts e uma produção anual calculada de 211.

437 megawatts hora, informaram hoje os responsáveis do projeto.

O Parque Eólico de Tramandaí, o terceiro em produção do país, consolidará o Brasil como líder na produção desse tipo de energia na América Latina, de acordo com a apresentação realizada pela multinacional portuguesa EDP Renováveis, responsável pela construção do projeto.

A instalação, que recebeu um investimento de 100 milhões de euros (US$ 133,4 milhões), terá 31 aerogeradores, cada um com capacidade para produzir entre 1,9 e 2,3 megawatts, de acordo com as fontes.

No total, a energia gerada pelo vento representará 2% da atual demanda energética do estado do Rio Grande do Sul e será capaz de abastecer uma cidade de 200 mil habitantes.

"A energia eólica tem um papel crescente e fundamental no abastecimento energético mundial. Brasil está seguindo de forma determinada essa tendência", ressaltou o presidente de EDP Brasil, Antonio Pita de Abreu, durante a cerimônia de colocação da pedra inaugural das obras na cidade litoral de Tramandaí.

Para o presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Lauro Fiuza Junior, Brasil deveria investir cada vez mais em fontes renováveis de energia, apesar dos altos custos característicos do mercado brasileiro que dificultam os investimentos.

"Há fatores que aumentam os custos de investimento, como equipes, estradas, impostos e licenças ambientais", explicou Fiuza Junior, quem comparou a situação brasileira com a dos Estados Unidos, onde a geração de energia eólica é 40% mais barata.

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius elogiou "a iniciativa (do Brasil) para produzir energia a partir do vento".

Para Ana Maria Fernandes, presidente da matriz de EDP Renováveis, o projeto representará um grande benefício para o país, mas requer "muito conhecimento" na área para ser implantado. EFE sa/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.