Tamanho do texto

La Paz, 19 mar (EFE).- O presidente da companhia petrolífera estatal boliviana YPFB, Carlos Villegas, afirmou hoje que o Brasil não completou a compra do volume de gás de 24 milhões de metros cúbicos diários, acertado pelos dois países em reunião bilateral em janeiro.

Villegas afirmou que o Brasil diminuiu no último ano de sua demanda de gás natural, ao passar de 30 para 20 milhões de metros cúbicos diários, o que representa uma redução de um terço no comércio de gás entre os dois países, e que afeta a produção boliviana.

O presidente da YPFB afirmou que o Governo da Bolívia solicitará uma reunião com as autoridades brasileiras na próxima semana, para falar sobre o compromisso acertado no começo do ano, quando foi decidido que os envios seriam de 24 milhões até maio.

Além disso, Villegas informou que será assinado um acordo ininterrupto com a brasileira Transborder Gas Services (TBS) para o fornecimento de aproximadamente 2 milhões de metros cúbicos diários a Cuiabá, mas que ainda está pendente à espera da resposta da companhia quanto aos preços.

Em janeiro, durante uma reunião entre autoridades e técnicos do Ministério de Hidrocarbonetos boliviano e executivos da TBS, a Bolívia aceitou a proposta de enviar uma quantidade fixa de 0,7 milhão de metros cúbicos por dia e uma quantidade flexível de até 2,2 milhões à geradora da capital do Mato Grosso. EFE lav/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.