SÃO PAULO - O Bradesco anunciou nesta terça-feira que pretende fazer uma espécie de limpeza na sua base acionária, a fim de reduzir custos operacionais. Segundo Fato Relevante divulgado no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a proposta será votada no dia 10 de março deste ano, em uma assembleia de acionistas.

A ideia do banco é fazer um grupamento de ações na proporção de 50 ações para 1 ação, respeitando a classe de ordinária e preferencial. Depois disso, o Bradesco pretende fazer, no sentido inverso, um desdobramento em igual proporção, desta vez de 1 ação para 50 ações. As duas operações ocorrerão simultaneamente.

No comunicado, o Bradesco justifica a medida destacando que "existe grande número de acionistas detentores de participações inferiores a 50 ações, cuja maioria encontra-se na condição de inativos, gerando significativo volume de serviços e custos operacionais para a sociedade".

Assim, após aprovada a operação, os investidores que possuírem menos de 50 ações atualmente, terão 60 dias para arrendondar sua participação para cima - o mesmo valendo para aqueles que possuam uma quantidade maior de papéis, mas não em múltiplos de 50. O banco se dispõe a financiar a compra dos papéis, se for necessário.

Já para os acionistas não se manifestarem neste período, as frações de ações serão agrupadas e vendidas em leilão e os investidores receberão um crédito, em dinheiro, no valor equivalente ao dos papéis detidos. O acionista que não tiver uma conta cadastrada para receber o valor poderá fazê-lo em uma agência do Bradesco.

Ainda segundo o banco, para os acionistas não identificados ou não localizados, os valores serão mantidos em uma conta da própria instituição e, quando o pagamento for solicitado, haverá correção pela taxa Selic.

Leia mais sobre: Bradesco

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.