Tamanho do texto

Os acionistas do Bradesco devem referendar hoje, em assembleia geral, o nome de Luiz Carlos Trabuco Cappi, de 57 anos, como novo presidente da instituição. Ele substituirá Márcio Cypriano, que deixa o cargo por ter alcançado a idade-limite de 65 anos para exercer a função.

Trabuco, como é conhecido no mercado, é funcionário de carreira do banco, onde começou a trabalhar em abril de 1969. Antes de ser indicado para a presidência, comandava a área de seguros, que, no ano passado, respondeu por 35% do lucro do Bradesco.

Segundo analistas, o desempenho do executivo à frente da seguradora foi o que o credenciou para o cargo. "O negócio seguro é mais difícil do que o financeiro e Trabuco foi um excelente administrador nessa área", diz o analista João Augusto Salles, da Lopes Filho e Associados.

O novo presidente tomará posse em um dos momentos mais desafiadores dos 66 anos de história do Bradesco. Em novembro do ano passado, a instituição perdeu 47 anos de liderança do ranking brasileiro dos bancos privados, após a fusão entre Itaú e Unibanco. Além disso, enfrenta a aproximação do grupo espanhol Santander, que, em outubro de 2007, comprou o banco Real.

"Trabuco parece ser o profissional adequado para liderar o Bradesco em um processo de crescimento orgânico, uma vez que as principais oportunidades de fusão ou aquisição do mercado brasileiro ficaram para trás", avalia o analista de instituições financeiras da Austin Rating, Luís Miguel Santacreu.

Os analistas ressaltam, porém, que a retomada da liderança não deve ser uma obsessão de Trabuco. "O Bradesco só fará aquisições se houver oportunidades boas e claras", diz Salles.

Para Santacreu, o novo presidente do banco precisará de uma estratégia inteligente para se diferenciar da concorrência e, com isso, ganhar "aos poucos" participação de mercado.

Trabuco é formado em filosofia pela Universidade de São Paulo (USP) e tem pós-graduação em Sócio-Psicologia pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Ele também vai ocupar, a partir de hoje, uma cadeira no Conselho de Administração do banco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.