SÃO PAULO (Reuters) - O Bradesco prevê encerrar 2009 com um crescimento na carteira de crédito de 13% a 17% , numa acentuada retração do ritmo de crescimento de mais de 30% verificado em 2008. O banco prevê que o crédito à pessoa física cresça de 8% a 13% este ano, também abaixo da expansão de 24,4% registrada em 2008. Já em pessoa jurídica, a expectativa da instituição é de crescimento de 11% a 16%, após o salto de 38,6% do ano passado.


Por produtos, a expectativa do Bradesco é que os financiamentos a veículos subam de 6% a 14%, enquanto os empréstimos consignados devem avançar de 15 a 25 por cento e cartões terão alta de 12% a 18% . O banco informa também que tem previsão de registrar R$ 5 bilhões em originação de financiamentos imobiliários. O Bradesco prevê uma margem financeira entre 18% e 22%.

A instituição, que deve perder a liderança em ativos do ranking brasileiro de bancos após a fusão do Itaú com o Unibanco, estima crescimento do Produto Interno Bruto do país em 2009 de 1,5%  ante uma estimativa do Banco Central de expansão em 2008 de 5,6% . Para 2010, a expectativa do Bradesco é de alta de 3,5%  no PIB.

O banco também prevê que a taxa básica de juros da economia (Selic) será de 10,25%  ao final deste ano e de 9,25% em 2010, ante inflação pelo IPCA de 4,20% e 4,50%, respectivamente.

Mais cedo, o Bradesco divulgou o resultado do quarto trimestre de 2008 com um lucro de R$ 1,605 bilhão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.