Tamanho do texto

O diretor-executivo do Bradesco, Ademir Cossiello, disse ontem que a instituição pode usar a prerrogativa de destinar parte de recursos dos depósitos compulsórios para adquirir carteiras de crédito de bancos pequenos. Segundo Cossiello, habitualmente, o Bradesco faz operações de aquisição de carteiras de crédito, que continuam normalmente.

"Enquanto se tem caixa não se tem necessariamente de buscar recursos do compulsório. Por enquanto, esse mecanismo não foi utilizado, mas certamente poderemos utilizá-lo", disse.

O executivo fez as declarações na portaria do Ministério da Fazenda, onde, segundo ele, houve uma reunião com a Receita Federal e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) para discutir contrato de prestação de serviços. Cossielo negou que os grandes bancos estejam impondo custos muito altos aos pequenos para adquirir suas carteiras, por meio de ofertas muito abaixo do valor real dos créditos dessas instituições. "Quem vai ditar os preços é o mercado. E não existe imposição de taxas maiores", afirmou.

A possibilidade de grandes bancos utilizarem parte dos depósitos compulsórios para comprar créditos de pequenos bancos foi aberta por uma decisão anunciada na semana passada pelo Banco Central. A medida foi apresentada pelo governo como uma forma de melhorar a liquidez das pequenas instituições.

O executivo disse que as operações de crédito ao consumidor no Bradesco continuam fluindo normalmente, sem qualquer paralisação, mas ele admitiu que algum ajuste poderá ocorrer. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.