SÃO PAULO - O Bradesco encerrou o terceiro trimestre do ano com um lucro líquido de R$ 1,910 bilhão, o que coloca em R$ 6,015 bilhões o lucro da instituição de janeiro a setembro deste ano.

O lucro líquido de R$ 1,910 bilhão representa alta de 5,52% sobre o ganho contábil do mesmo período do ano passado, quando foi de R$ 1,810 bilhão. De janeiro a setembro de 2007, o Bradesco registrou um lucro de R$ 5,817 bilhões.

Ao longo dos últimos três trimestres, o lucro do Bradesco veio se reduzindo gradativamente. Nos três primeiros meses do ano, o banco teve lucro líquido de R$ 2,103 bilhões, passando para R$ 2,002 bilhões no período de abril a junho e R$ 1,91 bilhão entre julho e setembro.

Em relatório, a diretoria do banco destacou que o lucro líquido do terceiro trimestre foi impactado "negativamente por menors ganhos na margem financeiro no resultado de não juros, compensado parcialmente por reversão de provisões".

A carteira de crédito do banco ficou em R$ 197,250 bilhões, de acordo com o chamado conceito ampliado, que inclui avais e fianças, valores a receber com cartões de crédito e cessão de crédito (FIDC).

Em setembro do ano passado, a carteira de crédito, sob esse conceito, era de R$ 140,094 bilhões.

Em seu relatório, o Bradesco prevê que a crise financeira global passará a afetar de maneira mais explícita as economias dos países emergentes.

"Ainda que o Brasil não esteja imune à crise e suas consequências, é importante ressaltar que houve avanços nos últimos anos em termos de melhora de fundamentos, o que deve amortecer em algum grau os impactos do pânico que tem tomado contada dos mercados internacionais", afirmou o banco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.