Tamanho do texto

SÃO PAULO - O Bradesco encerrou o ano de 2008 com lucro líquido de R$ 7,620 bilhões, 4,9% menor do que os R$ 8,010 bilhões somados nos 12 meses antecedentes. Apenas no quarto trimestre do ano passado, o lucro líquido foi de R$ 1,605 bilhão.

Entre julho e setembro de 2008, o ganho correspondeu a R$ 1,910 bilhão.

Ajustado por eventos extraordinários, a instituição registrou lucro de R$ 7,625 bilhões em 2008 e de R$ 1,806 bilhão nos três últimos meses daquele ano, montantes comparáveis aos R$ 7,210 bilhões e R$ 1,910 bilhão de mesmos períodos de um exercício atrás.

Levando em conta o lucro líquido do calendário passado completo, R$ 4,972 bilhões foram oriundos das atividades financeiras, ou 65% do total, e R$ 2,648 bilhões vieram das atividades Grupo Bradesco de Seguros e Previdência (35% do total).

No fim de 2008, os ativos totais somavam R$ 454,413 bilhões, o que implica alta de 33,2% no confronto com igual intervalo de 2007. A carteira de crédito, incluindo avais, fianças, valores a receber com cartões de crédito e cessão de crédito, aumentou 33,4%, alcançando R$ 215,345 bilhões. As operações com pessoas físicas totalizaram R$ 73,768 bilhões, acréscimo de 24,4%, e as operações com pessoas jurídicas atingiram R$ 141,577 bilhões, expansão de 38,6%.

Em nota distribuída nesta segunda-feira em sua página eletrônica, o Bradesco comenta que, no segmento de pessoa física, foi percebida "uma redução na demanda por empréstimos para financiamento ao consumo, resultado da retração dos consumidores nesse momento de incertezas". Complementa que "as maiores evoluções ocorreram nas modalidades de leasing, financiamento imobiliário e rural".

O patrimônio líquido no fim do exercício passado somou R$ 34,257 bilhões, com elevação de 12,8% perante mesmo período do ano anterior. O Bradesco acrescenta que a remuneração aos acionistas, na forma de juros sobre capital próprio e dividendos pagos e provisionados, foi de R$ 2,692 bilhões no ano.

(Valor Online)