SÃO PAULO - Começa a fazer efeito o poder de persuasão do Banco Central (BC) seja por meio dos contatos diretos com banqueiros ou pelo arsenal de medidas já anunciar para estimular a circulação do dinheiro no sistema financeiro. Bradesco e Unibanco anunciaram, ontem, a compra de carteiras de crédito de bancos de menor porte. Não foram divulgados os nomes dos bancos vendedores, os volumes adquiridos, os prazos e as taxas praticadas.

Mas os bancos compradores informaram a natureza das carteiras adquiridas. O Bradesco comprou uma carteira de financiamento de veículos e outra de consignado " pré-avaliado " . Já as duas carteiras adquiridas pelo Unibanco são de crédito consignado, com coobrigação. As duas instituições informaram também que avaliam outros negócios do mesmo tipo. O Unibanco estuda outras três carteiras. Anteriormente, apenas o Banco do Brasil (BB) havia anunciado a compra de três carteiras.

Desde a última semana de setembro o Banco Central (BC) tomou várias medidas para melhorar a liquidez do sistema financeiro no país, que, no total, liberam o equivalente a R$ 87 bilhões.

Ontem, foi reforçado o estímulo a esse tipo de operação quando foi ampliado de 40% para 70% o percentual do compulsório sobre depósitos a prazo que pode ser destinado pelos bancos para a compra de carteiras de crédito.

Levantamento da atuação da autoridade monetária no mercado de recursos, feito pela Andima a pedido do Valor , mostra que os bancos continuam preferindo repassar recursos para o Banco Central e operar no interbancário. O volume de recursos absorvidos em operações de um dia ontem foi de R$ 62,04 bilhões. Na semana passada, a média diária de volume de recursos absorvidos pelo BC em operações de um dia foi de R$ 58,2 bilhões. Na semana anterior, ficou em R$ 64,7 bilhões.

(Maria Christina Carvalho | Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.